domingo, 22 de maio de 2016

Cubas em vidro no banheiro

O vidro é um material frio e que traz certa leveza ao ambiente. Ele também passa a sensação de não ocupar muito espaço, podendo ser amplamente utilizado em pequenos ambientes. No caso dos banheiros, o vidro pode ser utilizado tanto nas bancadas quanto nas próprias cubas. Isso mesmo! As cubas em vidro são uma boa opção para transformar o seu banheiro, de forma moderna e econômica. Pode ser combinado com outros materiais, dependendo do estilo do cliente. Madeira, mármore, nanoglass ou o próprio vidro podem servir de base para a cuba.

A cuba pode ser embutida, apoiada ou encaixada na bancada do banheiro. Cubas de vidro em geral são de apoio, colocadas inteiramente em cima da bancada. Elas podem ser compradas prontas ou podem ser personalizadas de acordo com o projeto de arquitetura de interiores, já que o vidro é um material que pode ser facilmente moldado. É interessante que a cor do vidro seja da mesma tonalidade da cor do vidro do box do chuveiro para não destoar muito. Trouxemos alguns exemplos de sua aplicação em diferentes projetos de banheiros e lavabos. 

 
Bancada em madeira com cuba em vidro sobre placa de nanoglass. Projeto: Carver + Schicketanz

Bancada e cuba são de vidro temperado dando leveza a esse lavabo. Projeto: Renata Velois.

Nesse projeto o vidro foi usado parcialmente na cuba esculpida em mármore. Super! Projeto: Caroline Kreling. 

Contraponto entre madeira, pedras, espelhos e vidro nesse lavabo lindo. Projeto: não identificado.

O vidro utilizado juntamente com espelho grande para ampliar o banheiro. Projeto: não identificado.

Fonte das imagens: Google Imagens

sábado, 5 de setembro de 2015

Wood Frame: construção prática, rápida, econômica e sustentável

A tecnologia do wood frame tem se tornado cada vez mais comum no Brasil, especialmente por suas características. O sistema permite a construção seca, limpa, rápida, prática e sustentável de edificações de até cinco pavimentos, graças a sua estrutura de perfis leves de madeira maciça de pinus (de reflorestamento) contraventados com chapas estruturais de madeira industrializada do tipo OSB (Oriented Strand Board). O mais comum é a utilização de painéis de 11,1 mm nas paredes e telhados, e painéis de 18,3mm para pisos e lajes. Entre os painéis também vai o isolamento térmico e acústico seguido do perfil de gesso acartonado para aplicação dos acabamentos.
Esquema do sistema wood frame

Você pode estar se perguntando: mas como construir uma casa toda em madeira? Como faz para sustentar o telhado? E os cupins não vão estragar toda a estrutura? Bem, para todas essas perguntas tem uma resposta simples. Como o sistema é constituído de vários perfis verticais, eles são os responsáveis por distribuir as cargas superiores do telhado ou do pavimento superior. Assim, nesse sistema não existem fundação, pilares e vigas propriamente ditos. A rigidez e estabilidade dos perfis é garantida por processo industrial autoclavado, o qual também garante o tratamento contra ação de fungos e cupins, umidade e intempéries.
Exemplo de casa em construção com wood frame

A tecnologia do wood frame não é nova! Comumente utilizada em construções na Europa e nos Estados Unidos, sua principal vantagem está na redução de 50%, em média, na quantidade de mão-de-obra. Apesar disso, o custo sobe porque a mão de obra é mais qualificada. Além da redução no número de pessoas trabalhando, a redução no desperdício com materiais e a agilidade no tempo de construção reduzem os custos entre 15% a 20%. A redução de custos, quanto comparada com o sistema convencional, é verificada através do preço do metro quadrado.


O sistema steel frame parte do mesmo princípio que o wood, mas, ao invés de madeira, utiliza o aço. São estruturas formadas de aço galvanizado leve e usadas para formar paineis estruturais, paredes, vigas, tesouras, entre outros elementos. Da mesma forma que no wood frame, o steel requer mão de obra especializada e, por se tratar de aço, o custo fica um pouco mais caro. Um exemplo de aplicação bem sucedida do wood no Brasil vem do exemplar da Casa Modelo, construído em Curitiba pela empresa Tecverde, além de alguns exemplares empregados dentro do Programa Minha Casa Minha Vida.  

Casa sendo construída com wood frame em Curitiba

Também é importante destacar que entre as vantagens em relação às casas de alvenaria, destacam-se a execução da obra em prazos seis vezes menores do que uma construção convencional – cerca de apenas 3 meses para a execução total de uma obra de até 200 m²; menor custo de energia no uso da casa; redução de 80% nas emissões de CO₂; redução de desperdícios em até 90% e redução dos resíduos da construção civil em até 85%. É ou não é uma boa opção de construção?
Fontes de pesquisa: Techne, AECweb e Gazeta do Povo

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Contratar arquiteto pode tornar sua obra mais econômica


Construir ou reformar gera resultados incríveis, mas antes do processo e durante a obra é muito comum surgirem algumas dúvidas. Qual material de construção usar? Qual é cor ideal para a sala? Vale a pena ter um lavabo? Quantos pedreiros, pintores e eletricistas contratar?
Além dessas perguntas, há uma outra que pode gerar controvérsias: vale a pena contratar um arquiteto ou um escritório de arquitetura? A resposta é: sim. Afinal, o trabalho de um profissional vai muito além da questão estética. Ele facilita todo o processo, desde o planejamento até a entrega das chaves.
Além do projeto em si, o arquiteto também é o grande responsável por cuidar das instalações hidráulica, elétrica, de gás, esgoto, estrutura e paisagismo. Contratar um profissional como esse facilita a execução do projeto, uma vez que deixa de ser necessário consultar outras pessoas que podem não ter todo o conhecimento de um arquiteto capacitado.


Outra grande vantagem do especialista em arquitetura é que ele pode ser o encarregado legal pela execução da obra, ou seja, será de sua responsabilidade as sanções penais em caso de eventuais sinistros. Também estão inclusas às exigências legais o perfeito funcionamento das instalações e a segurança da construção após o término da obra por um período estabelecido pelo Código Civil e acordada entre as partes.
Apesar do custo de um arquiteto representar cerca de 10% de todo o gasto com a obra, a sua contratação tem vantagens como conforto, segurança e qualidade do serviço. Além disso, o profissional oferece o projeto como garantia, isto é, ele inclui uma série de detalhes que deverão ser cumpridos ao longo do processo de acordo com o gosto e estilo de vida dos clientes.
A inclusão de um arquiteto no plano de construção e reforma minimiza e torna a obra mais econômica a curto e longo prazo. É muito importante lembrar que, com a ajuda e aval desse profissional, o imóvel estará regularizado e será construído dentro das regras técnicas e de segurança.
Fonte: SEGS

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Verde, amarelo, azul e branco na decoração

A postagem de hoje é inspirada nesse clima de Copa do Mundo que o Brasil está vivendo. As ruas e as pessoas estão coloridas por todos os cantos do país, e lá no exterior também. Mas esse sucesso não fica só na cor da roupa ou no esmalte das unhas. Que tal decorar a casa ou apartamento com as cores do Brasil? Trouxemos projetos de decoração coloridos em verde, amarelo azul e branco para inspirar quem está pensando em estender a paixão pelo futebol brasileiro para a decoração de casa. As cores isoladas ou combinadas podem enriquecer qualquer ambiente. O verde é uma cor fria, relaxante; o amarelo é uma cor quente, alegre; o azul é frio e fresco enquanto o branco, neutro, traz a sensação de paz e pureza. O segredo está em utilizar peças-chave coloridas (tapetes, cortinas, quadros, poltronas, papéis de parede, etc.) em ambientes de base neutra. Assim essa combinação tem tudo para ser campeã (risos). Vamos conferir!

 Nessa sala de estar de cores neutras, toques de verde, amarelo e azul foram utilizados em elementos diferentes e dispersos da decoração e dos estofados, o que deu certa leveza e alegria ao ambiente.

Nesse quarto de um jovem apenas as cores verde e amarelo foram combinadas em alguns elementos, enquanto a base clara das paredes, do teto e do piso deixou o ambiente menos pesado.

Mais uma sala de estar em que predominam os tons neutros no mobiliário e nas paredes, enquanto alguns objetos, ou mesmo a tapeçaria, ganham as cores brasileiras.

Nessa sala de jantar as cores foram utilizadas especificamente no jogo de mesa e nas flores da decoração tudo mais alegre e cheio de cor.

Nesse ambiente, a combinação de cores foi mais ousada, mas não menos elegante. Tons fortes de verde e amarelo apenas no tapete e nas luminárias fizeram o contraste com a estampa colorida dos estofados e painéis nas paredes.

Nesse quarto infantil as cores predominaram nas paredes, com o tom forte do verde e um tom mais fraquinho do amarelo, enquanto todo o mobiliário de base neutra deixou o ambiente mais harmonioso.

A cozinha também pode seguir essa tendência! Móveis de base neutra recebem cores nas portas ou no tampo e na frente da bancada.

Quem quiser um pouco mais de ousadia pode utilizar todo o mobiliário da cozinha em um tom forte de uma das cores e o restante do ambiente com uma cor neutra como o branco. Alguns elementos coloridos enriquecem o ambiente sem deixá-lo pesado e com muita informação.

No quarto a combinação de cores segue no papel de parede e no jogo de cama, enquanto piso, teto e mobiliário recebem cores neutras.

No terraço, a decoração ganhou cor apenas nas cortinas e nas almofadas alegres e irreverentes que lembram as camisas dos jogadores.

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Etapas gerais de uma obra

Para construir ou reformar é preciso conhecer quais são as etapas de uma obra desde a contratação dos projetos de arquitetura até a limpeza final para a tão esperada mudança para a casa nova. Assim, uma obra pode ser dividida em 22 etapas. Vejam quais é a sequência de execução dos serviços de uma obra:

1. Contratação de escritório de arquitetura: a escolha do escritório de arquitetura deve levar em conta o portfólio do escritório, ou seja, quais projetos eles já realizaram. Não deixe de formalizar essa contratação em contrato.

Macete 01: faça a consulta a vários profissionais porque o custo dos projetos varia muito e não tem um padrão de preços para os serviços.

2. Elaboração de ante-projeto de arquitetura: após a reunião com os arquitetos eles vão desenvolver um ante-projeto para a aprovação do cliente.


3. Elaboração dos projetos: com o ante-projeto aprovado os arquitetos vão desenvolver os projetos de arquitetura, detalhamentos, planta humanizada e 3d;

4. Aprovação do projeto de arquitetura legal na prefeitura: o projeto de arquitetura legal é o projeto que está de acordo com o código de obras do município para aprovação na prefeitura.

Macete 02: Em grandes cidades a aprovação desse projeto pode levar tempo, chegando de 6 a 12 meses, fique atento!

5. Contratação de escritório de projetos de estruturas e instalações: com o projeto de arquitetura definido, faça a contratação dos projetos de estruturas, intalações elétricas, instalações hidro-sanitárias (água fria, esgoto, água quente), telefonia e internet. Peça ao escritório de arquitetura uma indicação para esses projetos.

6. Elaboração do orçamento da obra: etapa muito importante para saber quanto custará a sua obra. Para elaborar um bom orçamento você precisará saber quais serão todos os materiais aplicados. Essa informação estará no projeto executivo. Se você não tiver um projeto executivo, especifique todos os materiais que usará na obra para fazer o orçamento.


7. Elaboração do planejamento da obra: faça um planejamento para a obra. Esse roteiro de etapas ajuda bem como um guia para planejar. Defina o início da obra e distribua o custo nas etapas para você saber quanto custará cada uma delas. Há softwares de planejamento que auxiliam a fazer um planejamento assertivo. Os engenheiros de planejamento também ajudam a determinar quanto tempo vai durar a obra.

Macete 03: o planejamento no papel aceita tudo. Aceita qualquer prazo para as etapas de obra, mas a realidade é outra. Leve em consideração a disponibilidade do dinheiro a ser gasto, a mão-de-obra e a entrega dos materiais.

8. Limpeza e fechamento do terreno: é a preparação para iniciar a obra.

9. Montagem do canteiro ou barracão de obras: monte a estrutura para estocar materiais e os profissionais que vão trabalhar na obra.

10.Serviços de terraplenagem: são os serviços de movimentação de terra. Será necessário aterrar? Será necessário retirar terra do lote?

11. Locação da obra: é a montagem do gabarito de obra e a definição dos eixos para a execução das fundações e, em seguida, as estruturas e paredes.

12. Fundações ou infra-estrutura: são as fundações que vão sustentar toda a casa. São os serviços que vão ficar na terra. Existem vários tipos de fundações. A definição do tipo de fundação leva em consideração o tipo de edificação e o tipo de solo do terreno.

13. Estrutura ou superestrutura: é a sustentação da casa. São os serviços que ficam acima da terra como pilares, vigas, lajes. Podem ser em concreto armado, alvenaria estrutural, ou em aço.

14. Paredes e vedações: é a etapa de execução de alvenarias, chapisco, emboço ou reboco.

15. Cobertura: é a etapa dos telhados. Eles podem ser de telhas cerâmicas, metálicas, fibrocimento, etc.




16. Instalações (elétricas, hidráulicas, gás, telefonia e internet, etc): As instalações são executadas de acordo com o avanço da obra. Devem ser feitas com bastante atenção e cuidado para evitar vazamentos e problemas futuros.

17. Acabamentos e revestimentos: é a etapa de assentamento de pisos cerâmicos, pisos laminados, azulejos.

18. Esquadrias (portas e janelas): As esquadrias são as portas e janelas. A instalação deve ser bem feita para evitar problemas na abertura das mesmas. Existem vários tipos de esquadrias no mercado. Saiba escolher as que fiquem em mais harmonia com a arquitetura.

19. Forros e pinturas: etapa de acabamento das paredes e tetos.

20. Louças e metais: etapa de colocação de lavatórios, bancadas, box de banheiro, armários planejados, etc.

21. Áreas externas e paisagismo: plantio de grama e cultivo do jardim.

22. Limpeza final: limpeza final de obra. Deve ser feita com tempo e cuidado, olhando todos os detalhes para que fique tudo muito limpo e bonito para receber a família. 


Todas as etapas acima vão de acordo com o seu projeto. Algumas delas podem não existir ou serem puladas. O importante é conhecer as etapas e saber que construir demanda tempo, dinheiro e energia do casal.

Não pense em fazer tudo sozinho, contratar um pedreiro e começar a construir. A falta de conhecimento em construção só traz transtornos, problemas, atrasos, mal gosto e prejuízo.

Contrate profissionais especializados da área para elaborar os projetos, planejar, orçar e executar a obra. Você terá economia de tempo e dinheiro, qualidade, segurança e bom gosto. Não pense que isso é um custo a mais.

Fonte: Pedreirão

quarta-feira, 19 de março de 2014

Orquídea Radiante na decoração

No começo do ano, a Pantone, autoridade mundial em cores, anunciou a "cor do ano" para 2014. O tom escolhido recebeu a denominação de Orquídea Radiante (Radiant Orchid), uma mistura de roxo e pink vibrante com um toque fúcsia de subtom. Se a cor do ano passado, o Verde Emerald, um verde esmeralda que inspira crescimento, renovação e prosperidade. A cor desse ano pretende estimular a criatividade e originalidade, segundo a própria Pantone. A cor pode vir em várias tonalidades, desde uma mais azulada até uma puxada para o pink.

É uma cor que pode ser combinada harmoniosamente com tons de amarelo, sua cor oposta no circulo cromático, utilizando uma cor de fundo e a outra para destacar elementos da decoração. Cores como o laranja e o verde também podem ser utilizados junto com o Orquídea Radiante para enriquecer a harmonia do ambiente tornando mais atraente. Com tons de cinza e marrom, o orquídea radiante pode ser utilizado de forma mais ampla, em paredes, por exemplo, com tons mais claros, enquanto elementos da decoração podem ser destacados com tons mais escuros da cor. O ARQTED trouxe alguns ambientes decorados utilizando a cor de 2014 nas paredes, no mobiliário, nas peças de decoração, etc. seja na sala, na cozinha, no quarto, no banheiro... com idéias diferentes e interessantes.

Na sala de estar, a cor pode ser utilizada nas paredes...

...ou no mobiliário, como nos estofados, mesas, etc. 

Na sala de jantar, as paredes podem receber o destaque...

... ou as cadeiras da mesa.

Na cozinha, a cor pode vir em algum revestimento, na bancada...

... ou em parte dos armários e nichos.

No quarto, alguns detalhes da decoração, como o jogo de cama...

ou apenas as paredes podem receber pintura ou papel de parede. 

No banheiro, apenas as paredes podem receber a cor...

 ... ou todo ele pode receber a cor, incluindo a bancada.

Fonte das imagens: Google Imagens

quarta-feira, 5 de março de 2014

Espelhos na decoração

Eles deixam os ambientes mais amplos e decoram com elegância, quando usados no lugar certo. Em áreas internas ou externas, os espelhos são seus aliados na hora de transformar os ambientes. Seja no quarto, banheiro, na cozinha, nas salas de estar e jantar, em qualquer cômodo a peça é essencial para enriquecer a sua decoração. Os espelhos podem ser incorporados tanto nas paredes como nos móveis para complementar a decoração e ajudar a aumentar a amplitude dos ambientes, sejam eles clássicos ou modernos. Também podem ser utilizados aqueles espelhos com molduras, suspensos ou apoiados no chão, deixando a decoração ainda mais charmosa. Trouxemos algumas idéias e dicas para ajudar você na hora de decorar com espelhos.


Os detalhes da moldura dourada, em torno do espelho do século 16, contrastam com a sala, que tem decoração moderna. Assim, a peça ganha destaque no living do apartamento, apenas apoiada no chão.


A cabeceira extensa, que ocupa toda a largura do quarto, passa a sensação de um ambiente mais amplo. O espelho atrás da cama brinca com a profundidade do cômodo, favorecendo-o.


No closet, geralmente os espelhos são aplicados nas portas dos armários, e não nas paredes, pois se ganha mais espaço com armários, e se pode ter a própria imagem refletida.


Idéia que também pode ser usada no quarto, onde os espelhos aplicados nas portas dos armários favorecem, ao mesmo tempo, a ampliação da sensação de espaço e a reflexão da própria imagem.


A estante Load It tem prateleiras de inox entre faixas de espelhos e as poltronas são da designer Patricia Urquiola. Sob a estante, móvel suspenso, que funciona como bar.

 

No banheiro, mas principalmente em lavabos, o espelho aumenta visualmente a amplitude do ambiente ao refleti-lo, além de deixá-lo mais iluminado.


Uma parede preenchida de espelhos traz sofisticação e deixa o ambiente clean, além de proporcionar uma maior iluminação pela reflexão da luz, seja ela artificial ou natural, como nesta sala de jantar.


Se optar por não colocar o espelho em toda a extensão de uma parede, coloque-o apenas na altura dos olhos das pessoas, pois assim ele também dará a impressão de que o espaço é maior do que o real.

Em halls de entrada ou em circulações, os espelhos podem ser utilizados principalmente como elementos decorativos fixados na parede ou apoiados no chão.

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Residência do mês

A residência do mês é a Glass Concept Home que foi projetada pelo escritório do arquiteto Carlo Santambrogio e do designer Ennio Arosio, em Milão. O que chama atenção nesta casa é que suas paredes e a grande maioria dos objetos e mobiliário são totalmente de vidro. Isso mesmo! A casa foi construída em um bosque e o arquiteto utilizou um tipo de vidro de tonalidade azul com 10 cm de espessura para erguer os elementos construtivos e de vedação. Vedação que existe apenas quanto à proteção das intempéries (neve, chuva, ventos e insolação), mas por ser transparente, a casa não fornece privacidade alguma. Transparência que atrai os olhares de fora para dentro da residência, mas que também distrai os olhares dos moradores para o exterior pelas belezas naturais que estão na paisagem de seu entorno. Vamos espiar!?


A casa com três pavimentos (térreo e dois pavimentos superiores) interligados por lances de escadas é um cubo totalmente transparente em vidro.


Detalhe de um dos lances de escada com todos os degraus feitos em vidro e com estrutura em aço. Apenas o piso tem material opaco: tacos de madeira.


O mobiliário das salas de estar e jantar, tais como estantes e mesas, também foram projetados com o vidro de 10 cm de espessura. Apenas os bancos são em madeira.


No último piso, o quarto também tem a grande maioria de seu mobiliário executados em vidro. Pelo menos os estofados e a cama foram mantidos.


A vista do quarto do casal é simplesmente avassaladora. Dá pra entender o motivo de alguém escolher fazer uma casa toda em vidro nesse lugar.


A piscina recebeu uma estrutura, também em vidro, preservando a relação interior-exterior.

Fonte das imagens: Site de Carlo Santambrogio e site de Casa.com.br