quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Processo eleitoral do CAU


Hoje é mais um dia importante para os arquitetos brasileiros. É o dia da primeira eleição para o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil e para os Conselhos de Arquitetura e Urbanismo dos Estados e do Distrito Federal, de acordo com a Lei 12.378, de 31 de dezembro de 2010.  A votação é obrigatória para todos os arquitetos registrados no sistema CREA até o mês de junho passado, e será realizada exclusivamente pela internet, das 00:00 às 20:00 (horário de Brasília), pelo site: http://www.votaarquiteto.org.br/ Para os arquitetos com mais de 65 anos, o voto é facultativo. Para os que não puderem votar, o voto deverá ser justificado de acordo com o regulamento eleitoral. Caso o voto não seja justificado num prazo de 120 dias, o arquiteto(a) pagará uma multa no valor de uma anuidade. Maiores detalhes podem ser obtidos no próprio site do CAU: http://www.cau.org.br/
Boa votação a todos os arquitetos e arquitetas! 

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Formas de contratar os profissionais

Quando um cliente contrata um arquiteto ou engenheiro para a execução de um serviço que leva um tempo considerável para conclusão, como por exemplo, uma obra residencial, será estabelecido um contrato escrito entre ambas as partes interessadas.

Antes de prosseguirmos para as definições de contrato é bom assimilar o seguinte: o estabelecimento de um contrato verbal para a execução de uma obra que vai durar meses, ou até mesmo anos para ser concluída, não é conveniente, devido à complexidade do produto a ser entregue. São tantos itens envolvidos (instalação elétrica, hidráulica e sanitária, projeto de arquitetura e estruturas, materiais de acabamento, esquadrias, telhado, pintura,...) que o mais correto é o estabelecimento de um contrato por escrito, que não deixe dúvidas sobre os serviços que devem ser executados, deveres e obrigações de cada parte envolvida. As modalidades de contrato mais utilizadas por arquitetos e engenheiros são:

Contrato por Administração
Nesta modalidade de contrato, o prestador de serviços negocia apenas a sua atividade profissional, não assumindo responsabilidade por quantidades e custos de materiais, assim como da remuneração dos operários envolvidos na execução dos serviços. Neste caso, o orçamento elaborado pelo profissional contratado é apenas estimativo, não assumindo responsabilidade pela oscilação de preço que possa ocorrer no mercado de materiais de construção, assim como do aumento do salário-base da categoria de profissionais envolvidos. É, portanto, aconselhável que o cliente tenha uma reserva financeira entre 10 a 20% do valor estimado para a conclusão dos serviços, para que não tenha aquela desagrádavel surpresa de ter que parar a obra por falta de dinheiro.

Contrato por Empreitada
Nesta modalidade, o prestador de serviços assume a obra mediante um valor previamente estabelecido, tendo responsabilidade pela compra de materiais e custos com a mão-de-obra. Sendo assim, o prestador de serviços assume os riscos de uma eventual oscilação do mercado, como por exemplo, o aumento no preço dos materiais de construção.

Contrato Misto
Nesta modalidade, temos uma combinação dos contratos acima definidos. Aqui, o prestador de serviços se compromete a executar determinada obra por um valor fixo, havendo uma cláusula contratual para reajuste de salários e preços de materiais de construção caso ocorra uma variação (aumento) destes itens durante o período de execução dos trabalhos.

As modalidades de contrato acima mencionadas são básicas, e servem apenas como orientação conceitual. Portanto, quando for contratar os serviços de um arquiteto ou engenheiro, procure estabelecer um contrato que defina claramente os deveres e as obrigações de cada um.

Por Jorge Henrique Pezente
Engenheiro Civil

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

A escolha dos profissionais

Depois de garantir a compra de um bom terreno e legalizar a sua posse, agora é o momento de pensar no projeto da tão sonhada casa própria e de procurar os profissionais habilitados para construir o seu sonho. Mas você então deve estar se perguntando: quais serão os profissionais que vou escolher para fazer o projeto da minha casa e como vou escolhê-los?  Saiba que neste momento é tão ou mais importante a assistência técnica de um bom profissional de Arquitetura e/ou de Engenharia para ajudar a realizar o tão sonhado sonho.

Para quem não sabe, arquitetos e engenheiros, apesar de lidarem com a construção civil, são profissionais que estão habilitados para realizar serviços bem diferentes. Muitas vezes seus serviços são confundidos e acaba que temos arquitetos atuando na área dos engenheiros ou engenheiros atuando na área de arquitetos - o que não é certo (ético). Cada profissão tem suas especificidades, mas é importante destacar que elas são complementares.

O arquiteto é o profissional responsável por conceber o projeto de sua casa ou edifício, seja uma reforma ou uma construção, desde o tipo de fundação até o detalhe da maçaneta - caso o cliente deseje. Por ter uma visão global do edifício, isto lhe permite desenvolver um projeto no qual todas as etapas da construção estarão planejadas, o que evita desperdício de tempo, dinheiro e material.  

Questões referentes à iluminação, ventilação, circulação entre outras estão no cerne do projeto, e que só o arquiteto considera na hora de elaborar o projeto arquitetônico. Além disso, o arquiteto aplica conhecimentos de história e das belas artes, de ecologia e de tecnologia, na concepção do projeto de arquitetura e/ou urbanismo. Desse modo, o arquiteto é um profissional versátil por ter sua formação fundamentada nos conhecimentos de diversas áreas.

Essa formação dos arquitetos lhes distinguem dos engenheiros que têm uma formação mais voltada para o cálculo e para as ciências exatas. O engenheiro também pode, por exemplo, fazer pequenas construções, desde que não ultrapasse três pavimentos. Porém, ele não tem os mesmos conhecimentos que o arquiteto para construir um edifício ou um ambiente bonito, confortável e funcional ao mesmo tempo.

Um ponto importante que você deve considerar na hora de contratar estes profissionais é verificar se são profissionais registrados no CREA (Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura) - ou no CAU (Conselho de Arquitetura e Urbanismo), récem-criado por lei. Todo profissional legalmente habilitado, possui carteira profissional contendo o número de registro, a natureza do título, especialização e todos os elementos necessários para a sua identificação. Somente profissionais registrados podem exercer legalmente a profissão e apenas com eles será possível realizar a construção da casa própria sem problemas futuros.

Invista no arquiteto!
Invista no engenheiro!