quarta-feira, 25 de abril de 2012

Qual a melhor opção de TV?


Escolher um aparelho de TV já foi mais simples, não? Na época da imagem preto e branco ou das coloridas com seletores enormes, as escassas opções que dominaram o mercado por anos facilitavam, de certa forma, na hora da escolha. Esta moleza, porém, acabou. Ainda bem! A avalanche tecnológica que em 62 anos (a TV chegou ao Brasil em 1950) permitiu que os aparelhos ficassem mais leves e a imagem melhorasse anos-luz.  Entretanto, a evolução chegou a um ponto que é preciso se informar minimamente sobre as opções disponíveis antes de escolher a sua TV. Enquanto os fabricantes não trazem ao mercado as chamadas LED, TVs com tecnologia de tela ultrafina e com qualidade de imagem superior ao que se tem à disposição hoje, saiba como aproveitar agora o que se tem de melhor. O que é, quais as diferenças entre elas, quais as vantagens, quais as desvantagens…: tudo o que você precisa saber para escolher entre os aparelhos LCD, a TV de Plasma, a TV LED e os modernas TVs 3D.

TV LCD
Sigla para Display (tela) de Cristal Líquido, o aparelho funciona a partir de uma iluminação traseira do tipo fluorescente por trás da tela para formar a imagem. É a que exibe uma imagem mais brilhante. Perfeita para ambientes muito claros. Não há reflexo na tela.
Diferentemente da TV de Plasma, sua tela, mais fina e leve, não sofre tanto desgaste com o tempo de uso. Como desvantagem, não reproduz com tanta definição imagens de sinal analógico.
Grandes fabricantes, como LG, Panasonic, Phillips e Samsung oferecem as mais variadas opções, com aparelhos de até 52 polegadas e versões HDTV e Full HD.

TV DE PLASMA
O tal plasma surge de um processo químico que gera raios ultravioletas até atingir a superfície da tela para formar a imagem digital. Tem como atratativos a reprodução de cores vibrantes e um amplo ângulo de visão, ótima distribuição de luz por toda a tela e excelente contraste e resolução.
Em compensação,  o consumo de energia é alto e registra um índice maior de desgaste da tela; em alguns casos, ocorre de a tela ficar marcada, sobretudo por imagens estáticas, como os logotipos das emissoras de TV. LG, Panasonic e Samsung oferecem modelos entre 42 e 51 polegadas, e também as versões HDTV e Full HD

V LED
O encontro do melhor do LCD com o melhor de uma plasma. A diferença está iluminação traseira do equipamento, com a presença de diodos emissores de luz (os chamados LEDs) no lugar de lâmpadas fluorescentes atrás da tela, como ocorre em um um LCD convencional. Tal tecnologia oferece mais cor que um televisor de plasma e brilho maior que uma LCD.
Como vantagens, gasta menos energia que uma de plasma, tem imagem brilhante com melhor contrato com os pretos das imagens, melhor resolução em HDMI e aparelhos mais finos que seus concorrentes.
Assim como acontece com as TVs LCD, porém, também oferecem uma qualidade menor quando reproduz imagens de geração analógica.
Fabricantes como LG, Phillips, Samsung e Sony oferecem opções que vão de 19 a até as gigantescas 60 polegadas, incluindo versões HDTV e Full HD.

TV 3D
Aparelhos que usam tecnologia LED, LCD ou plasma (ou ainda a novíssima OLED) mas que têm a capacidade de reproduzir imagens em 3 dimensões. A captação se dá através de duas lentes que simulam o olho humano. Dessa forma, as imagens parecem borradas, ‘correção’ que se dá por meio de óculos especiais (“active shutter”). Com eles – que nas próximas gerações, segundo fabricantes, não serão mais necessários -, surge a impressão de profundidade que consagrou a tecnologia e a sensação maior de realidade do que é reproduzido na tela.
Tal perfeição, porém, pode oferecer algumas desvantagens, como cansar mais a visão, em razão do esforço para focar a imagem.

De todas tecnologias disponíveis atualmente no mercado, a 3D ainda é a mais cara, com equipamentos de até 64 polegadas.

Fonte: Mundo Walmart

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Mobiliário com gesso

O gesso é um material muito versátil e empregado extensamente no ramo da construção civil, seja em forros, paredes, massas para revestimento, moldes, além de chapas e massas para drywall. Nos últimos tempos ele vem sendo empregado na confecçao de mobiliário, além dos seus tradicionais usos em molduras e forros.

Isso mesmo! Hoje já é possível encontrar mobiliário feito com os painéis de gesso acartonado sustentados por perfis metálicos. Ele permite também receber pregos e parafusos, podendo ser cortado e utilizado para dar formas curvas às superfícies. Esteticamente, os painéis podem ter acabamento liso ou texturizado, com frisos ou auto-relevo, e podem receber cobertura de tintas e/ou vernizes.

Além de ser um material de custo inferior se comparado a itens do mobiliário convencional, vem ganhando destaque pela sua rápida e fácil aplicação, além de de não gerar muita sujeira na hora da instalação. Aqui mostramos algumas imagens com várias aplicações diferentes.