sexta-feira, 8 de março de 2013

Home Staging ou Retrofit

Hoje trouxemos um tema que é novidade aqui no Brasil, mas que já faz sucesso nos Estados e na Europa: chama-se home staging ou retrofit. Você já ouviu falar? Literalmente, o termo home staging significa encenação da casa. Na prática, o home stager (como o profissional da área é chamado) tem diante de si a função de transformar a decoração de imóveis usados que estão à venda para torná-la mais atraente para possíveis compradores ou locatários. Esse processo de melhorar, modernizar, customizar ou tornar mais atrativo um imóvel é mais comumente conhecido como retrofit. Nos Estados Unidos, estima-se que o remodelamento da decoração de um imóvel usado reduza em 78% seu tempo de venda.

 
Antes e depois de um quarto que passou pelo home staging: as paredes foram pintadas 
de cores neutras e os objetos pessoais foram tirados de cena. Projeto: Real Staging

É interessante destacar que só mais recentemente, o mercado passou a reconhecer o processo como válido, pois até então, eram técnicas bastante comuns na Europa (o retrofit é mais comum), em razão da grande quantidade de imóveis antigos existentes e da escassa disponibilidade de espaços vazios para novas construções. Ao chegar nos EUA e no Canadá, o retrofit e o home staging ganharam destaque e impulso pelo fato de nos países norte-americanos as condições serem opostas às européias. A diferença entre eles é que o home staging é um retrofit mais superficial, já que trabalha mais com a parte dos interiores de uma edificação, enquanto que o retrofit é mais profundo, pois mexe com toda a estrutura da casa desde os interiores e exteriores até as partes elétricas e hidráulicas.

 Home staging em uma cozinha: retirada dos objetos pessoais e pintura das
paredes. Projeto: Real Staging

Não confundir essa atividade com os tradicionais projetos de decoração. “No designer de interiores, você faz o projeto de acordo com a personalidade do cliente”, explica a home stager Susana Damy-Lacy. “O home staging, ao contrário, tem o objetivo de ‘despersonalizar’ o ambiente para que o comprador ou locatário se identifique com a nova casa ou novo apartamento”. Por isso, no projeto final de home staging saem de cena porta-retratos, acessórios mais pessoais e móveis em excesso. “Precisamos deixar a casa com uma circulação boa para que o comprador tenha uma noção real do espaço”, diz a fundadora da consultoria Staging Desing. Em alguns casos, o home stager projeta até algumas mudanças arquitetônicas – como pintura de paredes para cores mais neutras.

Antes e depois de uma sala de estar: repaginada nos móveis, na paredes e nos detalhes. 
Projeto: Home Staging Montreal (Canadá)

Para maximizar as chances de vender ou alugar um imóvel, o ideal é prepará-lo antes de colocá-lo no mercado. Por esse motivo, é interessante chamar um arquiteto ou designer, que são os profissionais por formação que podem desempenhar o trabalho de home staging e retrofit, antes mesmo de mostrar seu imóvel para um corretor, pois sua casa ou apartamento será avaliado por um preço melhor. No mercado imobiliário americano, berço da carreira, de cada dez imóveis vendidos, cerca de oito foram remodelados pelos serviços de home staging. Você já colocou seu imóvel à venda? Como saber se você precisa de um profissional do home staging? Em média, uma consulta inicial de home staging para apartamentos pequenos custa 70 reais. A cobrança pelo serviço pode se dar com base nas horas trabalhadas pelo profissional contratado ou de acordo com um percentual do valor de venda do imóvel. Entre em contato para saber como podemos ajudá-lo a melhor vender o seu imóvel.

 Retrofit da fachada de uma edificação antiga: trabalho de pintura e iluminação foi feito para valorizar o edifício.

Fonte: Adaptação a partir de notícia da Exame.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário